Unordered List

quarta-feira, 1 de junho de 2011

UNEB: Professores mantém greve mesmo diante da decisão da Justiça

Foto:Clarissa Pacheco/atarde
Mesmo com a decisão da Justiça de considerar a greve dos docentes da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) ilegal, a categoria diz que vai manter o movimento.
"Causou uma surpresa para a categoria e ficou um sentimento de lástima em saber que a Justiça declarou ilegal um movimento ligado à educação. Mas não estamos abatidos, nem desanimados, pois entendemos que a luta é importante para a defesa da universidade", diz Nora de Cássia Oliveira, diretora da Aduneb (Associação de Professores da Uneb).

De acordo com ela, a entidade ainda não foi notificada da decisão judicial, mas os advogados da Aduneb estudam como reverter a situação.

A categoria também acusa a Justiça de contradição pois, ao mesmo tempo que considerou a greve ilegal, ordenou através de liminar que o governo pague imediatamente o salário dos docentes. A regularização do salário é uma das principais reclamações dos docentes.

"Queremos voltar à mesa de negociação, mas queremos que o governo negocie com respeito. Já há quatro decisões do Tribunal de Justiça indicando o pagamento imediato", diz Gildásio Santana Júnior, professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Gildásio também ressalta a importância da participação dos estudantes no movimento. "É importante a permanência estudantil, porque é necessário que o governo crie residências estudantis e restaurantes universitários. Uma universidade pública precisa fornecer isso", defende.

Já a estudante Ivanise dos Santos, diretora da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel), a mobilização estudantil questiona o decreto 12.583, que corta as verbas das universidades. "Não estamos pedindo que o governo aumente o número de vagas, e sim, que não diminua".

Fonte: http://jorgeluizfiqueinformado.blogspot.com/

0 comentários:

Postar um comentário